Histórico

O Grupo Vittia é originário da empresa Biosoja, fundada em 1971 em São Joaquim da Barra, interior do estado de São Paulo.

A trajetória da Companhia foi marcada pelo empenho em reunir pesquisa e desenvolvimento, método e prática, tecnologia e natureza na fabricação de novas tecnologias em nutrição de plantas para o mercado agrícola brasileiro.

Em 1998, buscando aumentar o seu portfólio de produtos, a Companhia inaugurou a Biosoja Fertilizantes e lançou sua primeira linha de produtos de fertilizantes especiais, inicialmente conhecidos como fertilizantes foliares. Esse movimento permitiu ingressar em outras culturas agrícolas, já que os inoculantes eram vendidos apenas para cultura da soja.

Em 2001, dando continuidade a estratégia de fortalecer o seu portfólio, a Companhia adquiriu ML Industrias Químicas, agregando as linhas de adjuvantes e fertilizantes organomineral. Já em 2004, a Companhia ingressou no segmento de micro granulados de soja de forma orgânica, a partir da inauguração da Granorte. Com essa inauguração, o Grupo passou a reaproveitar resíduos industriais para produzir alguns fertilizantes.

Buscando consolidar sua posição de destaque em um mercado em ampla expansão, a Companhia recebeu, em 2014, um aporte minoritário de seu atual acionista Brasil Sustentabilidade FIP, gerido pela BRZ Investimentos. Após o aporte, a Companhia implementou um processo de profissionalização de sua gestão, com a implantação das melhores práticas de gestão e governança corporativa, entre as quais: (i) Conselho de Administração; (ii) Estruturação de Comitês: Financeiro e Sustentabilidade; (iii) Reorganização da Diretoria; (iv) Orçamento e Plano de Remuneração Variável; (v) Auditoria das Demonstrações Financeiras elaborada por auditor independente registrado na CVM; (vi) Consultoria Industrial; (vii) Planejamento Estratégico; (viii) Reorganização Societária, dentre outras iniciativas, bem como registrou um faturamento bruto de R$214 milhões no exercício social findo em 31 de dezembro de 2014.

Em 2016, como forma de marcar o seu novo posicionamento no mercado, representado pela expansão dos negócios da Companhia, fruto do planejamento estratégico e visão de futuro para atender as diversas culturas, bem como para evitar conflitos entre as marcas adquiridas o antigo Grupo Biosoja foi renomeado como Grupo Vittia.

Em 2020, dando continuidade à estratégia de crescimento orgânico foi inaugurada em área de 110 mil m² contígua à fábrica principal da Vittia em São Joaquim da Barra (SP) a nova unidade industrial de produtos biológicos. Essa unidade contempla 5,0 milhões de kg/ano de capacidade instalada e centro de P&D com mais de 1.300m² (comparado a 145m² da planta industrial atual em Uberaba/MG), sendo o investimento mais relevante da história do grupo.

No que diz respeito ao crescimento inorgânico, a Companhia atua em um mercado altamente pulverizado e buscou aquisições de ativos estratégicos que pudessem ter sinergias de tecnologias, cultura ou geografia. Nesse sentido, a Companhia concluiu nos últimos anos quatro aquisições:

  • Aquisição de 100% da Samaritá, que atuava na produção de fertilizantes, defensivos biológicos e soluções de tratamento biológico de efluentes industriais (novembro de 2014).
  • Aquisição de 80% da Biovalens, que atua no segmento de defensivos biológicos (março de 2017).
  • Aquisição de 100% da Vitória Fertilizantes, que atua no segmento de organominerais, farelados e peletizados (agosto de 2020).
  • Aquisição de 80% da JB Biotecnologia, que atua no desenvolvimento, produção e comercialização de defensivos biológicos a base de macroorganismos (parasitoides e predadores) para o manejo integrado de pragas na agricultura e na silvicultura (dezembro de 2020).